Paulo Haddad e o ensino em Economia

Por Junior Garcia

No dia 15 de março de 2016, o Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Econômico da Universidade Federal do Paraná (PPGDE/UFPR) recebeu o Professor Paulo Roberto Haddad, economista, professor Emérito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e ex-Ministro da Fazenda e do Planejamento do Governo Itamar Franco[1]. O Professor proferiu a seguinte Aula Magna para os alunos e professores do PPGDE/UFPR, “Tempo e espaço no pensamento econômico: Alfred Marshall e Walter Isard”.

Na aula magna o Professor destacou a importância do tempo e do espaço na análise econômica a partir de suas experiências profissionais. No estudo econômico, e mesmo na formulação e execução de políticas públicas, é importante considerar a dimensão tempo, que pode ser o tempo histórico ou o tempo analítico. O primeiro diz respeito aos processos históricos, os quais não podem ser ignorados na análise econômica. O segundo refere-se ao tempo construído, em especial a construção analítica do tempo para a prática da modelagem econômica e suas limitações. Neste aspecto, o Professor Paulo Haddad destacou o uso inadequado do tempo analítico na formulação e na implementação de políticas econômicas.

Outro tema tratado foi a Economia Espacial, ou seja, o papel do espaço no Pensamento Econômico Moderno e na análise econômica. Neste sentido, o Professor apresentou as concepções de espaço – contínuo físico-métrico, uniforme-abstrato, diversificado-relacional e diversificado-estilizado – e suas implicações a partir da discussão do modelo de desenvolvimento espacial endógeno.

Por fim, a supressa de sua aula magna foi a discussão sobre o papel da proposta apresentada pela Economia Ecológica na análise econômica. A discussão destacou a importância dos serviços ecossistêmicos e/ou ambientais e o tratamento do Sistema Econômico como um subsistema do ecossistema na análise econômica. Para ilustrar esse debate, o Professor destacou o estudo conduzido pela FEA/USP sobre os impactos socioeconômicos das mudanças climáticas. Por fim, o Professor afirmou que devemos adotar no ensino em Economia a proposta da Economia Ecológica, substituindo o tradicional modelo do “fluxo circular da renda e do produto” pelo modelo que considera o sistema econômico como um subsistema do ecossistema e suas implicações. O sistema econômico tradicional não representa a realidade, porque o que existe é um Subsistema SocioEconômico e Ecológico. Neste aspecto, não podemos desconsiderar as restrições impostas pelo ecossistema à dinâmica econômica e suas implicações.

[1] Segue um resumo da sua biografia: professor Paulo R. Haddad é economista, com especialização em Planejamento Econômico no Instituto de Estudos Sociais de Haia-Holanda, Professor Emérito da Universidade Federal de Minas Gerais, Primeiro Secretário-Executivo da Associação Nacional de Centros de Pós-graduação em Economia – ANPEC (1971/1973), ex-Ministro da Fazenda e do Planejamento da República Federativa do Brasil (1992-1993), ex-Secretário da Fazenda e do Planejamento do Estado de Minas Gerais, Consultor do Banco Mundial, do Banco Interamericano de Desenvolvimento, do PNUD, da ECLA e outras organizações públicas e privadas, nacionais e internacionais, Presidente da Phorum Consultoria e Pesquisas em Economia Ltda. e Diretor da AERI – Análise Econômica Regional e Internacional Ltda.. Publicou diversos livros e artigos em jornais especializados no Brasil e no Exterior.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s